Conteúdo para toda família

 

C U P   O F   E X C E L L E N C E

GUAXUPÉ APRESENTA AO MUNDO OS MELHORES CAFÉS BRASILEIROS

 

No domingo, dia 21, o concurso Cup of Excellence – Brazil 2018, anunciou o resultado da etapa internacional que aconteceu em Guaxupé, Sul de Minas Gerais, de 15 a 21 de outubro, revelando para o mercado quais são os melhores cafés especiais do País.

Da categoria “Pulped Naturals”, o cereja descascado, em que 37 amostras foram analisadas, sagrou-se campeã a empresa Primavera Agronegócios, com o café produzido na Fazenda Primavera, em Angelândia, na região da Chapada de Minas Gerais, com a nota 93,89 pontos. Destacado por “gueixa”, um novo tipo de café que está sendo produzido no Brasil, Leonardo Montesanto Tavares recebeu o troféu. “Esse prêmio mostra que o trabalho vale a pena, que a dedicação é importante e que somos profissionais no que fazemos. Muito além do financeiro, o mais importante é poder mostrar para o mundo que o Norte de Minas também produz café de excelência. Esse prêmio é de todos da fazenda Primavera”, disse emocionado.

Já da categoria “Naturals”, tipo natural em que o modo de preparo é via seca, 40 amostras foram analisadas. Uma amostra do produtor  Sérgio dos Reis Oliveira, do Sítio Córrego Grande, de São Pedro da União, ficou na 30ª posição - 87,59 pontos. Já o café de Ronaldo Reis Madeira, do Sítio Mandioca, de Nova Resende, é o 20º melhor do concurso nesta categoria - 88,32 pontos.

O café cultivado por Maria do Carmo Andrade, na Fazenda Paraíso, em Carmo do Paranaíba, situada na Denominação de Origem do Cerrado Mineiro, foi o campeão com 93,26 pontos. Ismael José de Andrade é quem recebeu o troféu. “O prêmio é o coroamento de uma vida de trabalho e dedicação, minha, da minha família e de todos os envolvidos, muita gente que acredita no café e no potencial dele. É também uma grande responsabilidade. Estou muito feliz”, afirmou.

Outros sete cafés também receberam o título de café presidencial, com nota superior a 90 pontos.

Os lotes finalistas das duas categorias participam agora de leilões internacionais, entre os quais 100 potenciais compradores de 40 países aguardam para arrematar as sacas brasileiras. Em 2017, por exemplo, sacas de café cereja descascado chegaram a ser leiloadas por R$ 55 mil e do café natural por mais de R$ 39 mil.

CONHEÇA O CONCURSO

 

Contribuir para a capacitação de produtores e demais segmentos da cadeia produtiva dos cafés especiais, esse é um dos objetivos do Cup of Excellence – Brazil, o principal concurso de qualidade do mundo, desde a sua criação. Em 2018, realizado como ação do projeto setorial "Brazil. The Coffee Nation", pela Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA), em parceria com a Cooxupé, Specialty Coffees, Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e a Alliance for Coffee Excellence (ACE), o concurso dá nova mostra que esse norte vem sendo alcançado anualmente. Foram 1.000 amostras inscritas e, após a apuração na fase nacional, 77 seguiram na disputa para saber quais serão os melhores cafés especiais do Brasil na safra atual.

Dos lotes classificados para a fase internacional do Cup of Excellence - Brazil 2018, que aconteceu de 15 a 21 de outubro, no Assoxupé, em Guaxupé, 40 foram da categoria Naturals, que envolve os cafés naturais, colhidos e secos com casca, e 37 da Pulped Naturals, que é destinada aos grãos produzidos por via úmida, como os cerejas descascados e os despolpados/desmucilados.

Nessa etapa, 29 juízes das principais compradoras internacionais, vindos de Estados Unidos, Japão, China, Cingapura, Bulgária, Rússia, Inglaterra, Austrália, Índia e Alemanha, analisaram os finalistas e os que obtiveram nota igual ou superior a 86 pontos (escala de zero a 100 do concurso) foram eleitos os melhores cafés da safra 2018 do Brasil e comercializados, via internet, em disputado leilão internacional. Já as amostras que se classificaram com notas entre 84 e 85,99 pontos foram consideradas "National Winners" e também irão a leilão, possibilitando a comercialização a preços condizentes com a excelente qualidade que possuem.

Na categoria Naturals, a origem produtora que mais se destacou foi a Indicação de Procedência da Mantiqueira de Minas Gerais, com 15 cafés entre os finalistas, ou 37,5% do total. Na sequência, vêm a Denominação de Origem do Cerrado Mineiro, com 10 lotes (25%); Sul de Minas, com sete (17,5%); Matas de Minas e Chapada Diamantina (BA), com três amostras cada (7,5%); e as regiões de São Paulo da Média Mogiana e da Indicação de Procedência da Alta Mogiana Paulista, com um lote cada (2,5%).

A categoria Pulped Naturals contou com 37 finalistas, tendo a origem produtora da Chapada Diamantina encabeçando a lista com 17 representantes, o que corresponde a 46% do total. A Indicação de Procedência da Mantiqueira de Minas Gerais veio na sequência, com 10 cafés (27%), seguida pelas regiões das Matas de Minas, com quatro lotes (10,8%); do Sul de Minas, com duas amostras (5,4%); e da Denominação de Origem do Cerrado Mineiro, das Montanhas do Espírito Santo, da Chapada de Minas e do Planalto de Vitória da Conquista (BA), cada uma classificando um café (2,7%).

Os vencedores do principal concurso de qualidade do mundo para cafés especiais, que contou com auditoria da Agricert Brasil, foram anunciados no dia 21 de outubro, em Guaxupé.

 

BRAZIL: THE COFFEE NATION

 

O projeto setorial “Brazil. The Coffee Nation” é desenvolvido em parceria pela BSCA e pela Apex-Brasil e tem como foco a promoção comercial dos cafés especiais brasileiros no mercado externo. O objetivo é reforçar a imagem dos produtos nacionais em todo o mundo e posicionar o Brasil como fornecedor de alta qualidade, com utilização de tecnologia de ponta decorrente de pesquisas realizadas no país. O projeto visa, ainda, a expor os processos exclusivos de certificação e rastreabilidade adotados na produção nacional de cafés especiais, evidenciando sua responsabilidade socioambiental e incorporando vantagem competitiva aos produtos brasileiros.

Iniciado em 2008, a vigência do atual projeto se dá até maio de 2020, tendo como mercados-alvo: Alemanha, Austrália, Canadá, China, Coréia do Sul, Estados Unidos, Itália, Japão, Noruega, Nova Zelândia, Polônia, Reino Unido, Rússia, Taiwan (Formosa) e Turquia para os cafés crus especiais; e Argentina, China e Estados Unidos para os produtos da indústria de torrefação e moagem.

INSTAGRAM

Curta esta página no Facebook

Poste no seu Twitter

© EDITORA MÍDIA LTDA | Av. Conde Ribeiro do Valle, 255 | 2º Andar | Sala 8

Telefone: (35) 3551-2040 | Cep 37800-000 |  Guaxupé | MG