Conteúdo para toda família

Fisioterapia
Prof. Dr. Luiz Henrique G. Santos

Dor lombar

persistente?

 

Coordenador do curso de Fisioterapia do UNIFEG

Diretor clínico do Instituto Sulmineiro de Cabeça e Pescoço

 

Rua Cel JoaquimCosta, 115

Telefone: (35)99182-7771

Guaxupé MG

Você sabia que muda comportamentos quando apresenta dor? Quando se tem o diagnóstico de dor crônica na coluna as pessoas tendem a modificar seus comportamentos quando falamos em MOVIMENTO. Nos quadros de dor, os pacientes tendem a projetar o corpo a frente para o objeto, dobram os joelhos, contraem os músculos do abdômen e utilizam os quadris para essa atividade. Outras também colocam as mãos apoiadas nas coxas e deixam a coluna reta, evitando que a mesma se dobre. Em diversas situações a fisionomia muda durante a execução dos movimentos e quase sempre trava a respiração, elevam os ombros e apertam os dentes. Isso tudo acontece ou pode acontecer durante um movimento como dobrar a coluna para pegar uma caneta no chão. Mas será que essa é a melhor forma de se movimentar? Quando o caso esta relacionado a uma dor aguda, é importante que tenha uma modificação temporária na forma de MOVIMENTO para evitar o aparecimento da dor, e isso é considerado NORMAL e até esperado

                                                .

Porém, na DOR CRÔNICA isso é visto como um comportamento que não irá ajudar na melhora e inclusive pode fazê-la tornar-se persistente. Estudos recentes mostram que as pessoas com dor tendem a ter aumento da atividade de músculos do tronco durante tarefas do cotidiano, como: sentar, levantar, subir e descer escadas, abaixar para pegar algum objeto no chão e caminhar. Isso acontece como uma crença de que esta estratégia pode proteger mais a coluna durante movimentos que geralmente foram orientados por profissionais da saúde a evitar. Já sabemos que evitar movimento é sempre a estratégia menos indicada quando se trata de dor crônica da coluna, portanto, os pacientes não devem zelar pelo movimento, pois isso esta relacionado ao maior índice de dor durante as tarefas.

Para isso é importante que procure um profissional de Fisioterapia que seja especialista na área para que possa lhe orientar ao que chamamos de exposição gradual ao movimento de forma que a musculatura esteja relaxada para que exista menos estresse muscular durante os MOVIMENTOS. Gradativamente o trabalho facilitará sua performance e isso fará com que você se sinta bem, e isso não deve estar relacionado com falta de proteção, pois a literatura científica reforça que não há relação entre estar relaxado durante os movimentos e aumento de dor na coluna. As orientações e a prescrição de exercícios corretos, somados a sua capacidade de trabalhar com estas orientações corretas fará com que você tenha comportamentos mais saudáveis em relação a sua coluna e isso levará mais rapidamente ao que você lembra sentir antes da dor, e mais próximo da melhora você também vai estar. O instituto sulmineiro de cabeça e pescoço possui um corpo clínico especializado no atendimento de dores crônicas e entende a dor como um sinal muito importante e que esta relacionada a diversos fatores biopsicossociais, e isso garante uma avaliação e recuperação funcional dentro de um conceito amplo de tratamento. Conheça nosso trabalho que agora acontece também na cidade mineira de Pouso Alegre.

 

INSTAGRAM

Curta esta página no Facebook

Poste no seu Twitter

© EDITORA MÍDIA LTDA | Av. Conde Ribeiro do Valle, 255 | 2º Andar | Sala 8

Telefone: (35) 3551-2040 | Cep 37800-000 |  Guaxupé | MG