Conteúdo para toda família

por onde

você anda?

Meíta Bardi, colunista

meitabardi@yahoo.com.br

MARCIO PASQUA

Sou o Márcio Pasqua, o popular Marcinho, nascido e criado em Guaxupé. Filho caçula do Mário Pasqua e Maria Aparecida Chueiri. Irmão de Mário Pasqua Filho (Marinho), Mauro Pasqua, e Adriana Pasqua. Hoje somos só Adriana e eu. Meus dois irmãos partiram cedo para o plano espiritual, restando a saudade e as boas lembranças que tenho deles.

Minha esposa é a linda Ana Lúcia, mãe da Marília e do Felipe, meus enteados. Sou  vovô da princesa Olívia, que  mora na Alemanha com seus pais.

Para mim, ter nascido e  ter sido criado em Guaxupé é uma benção de Deus. Amo demais a nossa “terrinha”.  Posso dizer que a melhor fase da minha vida foi em Guaxupé.  Morei  no bairro Jardim Planalto dos 4 aos 22 anos.  Ali é e sempre será meu berço. Tive uma infância maravilhosa, criei laços de amizade que não se desfizeram. O Planalto era pequeno para tantas brincadeiras de rua, andar de bicicleta e carrinho de rolimã,

Quando volto a Guaxupé, sou recebido com muito carinho e respeito por todos. Eu tinha amigos pela cidade inteira, pois jogava bola pelos campos dos bairros, no campo do Planalto  e nos campos de várzeas. Íamos naqueles caminhões de boia-fria o que era uma verdadeira aventura. Tempo bom que faço questão de manter vivo em minha memória...  Até hoje, quando volto a Guaxupé, tenho que ir nos lugares que são parte da minha história,  olhar de perto,  visitar  os amigos do “meu”  bairro.  Amo visitar  meus tios e primos da família Pasqua. São muito gente boa e sempre foram exemplos de honestidade e trabalho árduo para mim. Não deixo de ter contato também com a família da minha mãe, os Chueiri. Dou muita  importância para o convívio com a família e com os amigos, pois o que levamos da vida não são as coisas, mas  sim  os momentos vividos com as pessoas.

Na minha  adolescência fiz de tudo um pouco. Dos 16 anos aos 21 anos,  fui Dj aos finais de semana no Kuka Fresca e depois na Over Night.  Eta época boa!  Até arriscava a dar uns passinhos nas pistas de dança. Sabe que fui ficando bom nisto?  Mais uma  fase inesquecível da minha vida, onde  fiz novos amigos na cidade! Parece brincadeira, mas depois de 26 anos fui convidado  para tocar no clube Guaxupé como Dj. Agradeço a todos pelo convite.

Entre tantas lembranças, eu não poderia deixar de contar como foi quando comprei meu primeiro carro: uma  Saveiro! Mandei turbinar e colocar rodas cromadas. Para mim era o máximo! Ficava apostando corrida! Coisa de garoto que teve o privilégio de  poder comprar o seu próprio carro!

Hoje, faço parte da Equipe Internacional de Presidentes da Herbalife. Chegar até aqui não foi fácil, pois nem tudo começa grande na vida., Comecei a trabalhar muito jovem. Sempre tive o exemplo positivo da minha família e dos meus pais, que sempre trabalharam duro na vida. Nós tínhamos  uma empresa no ramo de Artefatos de Cimento. Comecei muito pequeno a trabalhar ali. Ao longo do tempo, fui aprendendo a profissão e me apegando cada vez mais a essa atividade. Logo comecei a ter mais responsabilidade até que assumi a empresa por completo.  Trabalhávamos todos juntos que graças a Deus ia muito bem. Até que,  como num passe de mágica, o governo criou a Unidade Real de Valor, a URV. Tínhamos de andar com a calculadora na mão, para converter os preços do cruzeiro real (Cr$) para a URV. Era  1994, um ano complicado para o Brasil e para o mundo. A partir daquele momento, o País começou a ter uma inflação camuflada. Quem tinha que comprar matéria prima para fabricar e vender um produto, foi muito afetado por este novo plano econômico. Rapidamente,  nós fomos perdendo tudo que havíamos construído ao longo de muitos anos e fruto de muito trabalho diário. Fomos perdendo nosso patrimônio e quando a situação financeira vai mal, a família vai péssima. Meus pais se separaram e chegamos ao fundo do poço. Mas sabe o que eu descobri na vida?  Todo poço tem um fundo e você só vai sair dele quando encontrá-lo.

Foi exatamente nessa época, que conheci a Herbalife, através de um anúncio no jornal da cidade. Respondi aquele anúncio e  fui parar em um evento da empresa. Eu tinha 25 anos de idade e queria muito dar certo na vida. Naquele momento tomei uma decisão: eu ia na trabalhar na Herbalife, não  para ver se ia dar certo e  sim para fazer dar certo, apesar das minhas dificuldades,

Foi uma época muito difícil mesmo.  Cheguei até a ficar com as contas de energia e água cortadas em casa.  Só que isso nunca tirou meu desejo de mudar de vida. Eu sentia que  as minhas  dificuldades estavam me  lapidando  e  ajudando a ir para um outro nível de vida.

Em 2000, fiquei por uma semana na porta da Expoagro distribuindo milhares de panfletos, de mão em mão. Nunca me envergonhei disto e acho que esse foi o segredo do meu sucesso profissional. Eu entendi que quando a promessa é clara, a dor vai ser passageira.  Entendi também que quando a gente cai, é preciso levantar rápido, pois não dá para caminhar deitado, Eu trabalhava de 14 a 18 horas por dia, sem parar, ainda em Guaxupé;

Assim foi por quatro anos, até que conheci minha esposa amada em um evento e casamos em 40 dias. Mudamos para Araraquara.  Ela é advogada, mas decidiu largar a profissão  e veio trabalhar comigo. A partir daí começamos nossa história juntos, vivendo bons e maus momentos e trabalhando muito, com muita garra e perseverança.

O resultado é termos hoje  uma vida saudável, com oportunidade de poder viajar e realizar sonhos. Não só os nossos, mas os de outras pessoas também. Eu acredito que a vida se torna muito mais valiosa, quando somos solidários e ajudamos o próximo. O que a gente faz de bem, a vida nos devolve em dobro. É assim que levo a vida, valorizando cada vez mais a minha família, meus amigos e clientes.

Fazer parte do Equipe Internacional de Presidentes da Herbalife  é motivo de muito orgulho, mas não de envaidecimento. Sou reconhecido  em mais de 90 países  pelo mundo afora, mas nunca me esqueço das minhas raízes.  Ainda tenho mais alguns objetivos de vida e  juntos, minha esposa e eu, estamos na construção deles. Um dos meus sonhos é  o de  voltar a Guaxupé e poder retribuir e ajudar muita gente na terra que tanto amo e  que anda dentro de mim por onde quer que eu vá. Aconteça o que acontecer, nunca vou esquecer de onde eu vim.

Eu gostaria de dar uma dica para quem quer crescer na vida: tenha motivos fortes, sonhos grandes, siga seu coração, seja consistente e persistente.

Muito obrigado, Meíta, pelo convite.  É uma honra minha poder estar na Revista Mídia, de tanto sucesso.  Um grande abraço e obrigado para toda a equipe.

 

 

INSTAGRAM

Curta esta página no Facebook

Poste no seu Twitter

© EDITORA MÍDIA LTDA | Av. Conde Ribeiro do Valle, 255 | 2º Andar | Sala 8

Telefone: (35) 3551-2040 | Cep 37800-000 |  Guaxupé | MG