Conteúdo para toda família

Psicanálise
Marilete Vieira Zampar

Buscando

Ser Mestre

 

A autora possui Formação e Pós-Graduação: Letras - FFCL R.P., Psicanálise – UNIFRAN, Psicopedagogia – UNISANTANA; Psicodrama Nos Distúrbios Psicossomáticos - EPP Doutorado - WDU; Pós-Graduação em Saúde Mental – FCM Unicamp;  Pós-Graduação em  Transtornos Alimentares – FCM Unicamp; Neurociência – UFMG;  Neuropsicopedagogia – UCAM. Contato: Praça Presidente Kennedy, 102 Guaxupé – MG - Telefone: (35) 3551-0692

Não sei se este é um agradecimento ou um pedido, se um apelo ou uma busca. Uma descoberta ou um consolo. Mas sei Senhor, que preciso de algo. Que anseio e desejo, no íntimo de meu ser acertar.

Quero ter a ponderação do mestre que escuta sem julgar. A simplicidade do sábio que transmite mais pelo exemplo que pela fala. A paciência do justo que sabe esperar. A força do bravo que impele à busca. A curiosidade da criança inocente que quer saber. A flexibilidade do galho verde que curva até a terra. A firmeza da raiz que segura o tronco forte.

Que eu possa Senhor, aceitar minhas fraquezas com espontaneidade. Minha ignorância como motivação ao conhecimento. Minhas limitações como oportunidade de questionamento.

Que eu use Senhor, todos os pontos de interrogação do universo, para permanecer aberto às transformações e aprendizado.

E nos momentos de aflição, possa eu olhar para o alto, sem me preocupar onde estou, mas aonde quero chegar.

Que todos os que passarem pelas minhas mãos me permitam aprender com eles. Possam se lembrar de mim com afeto, pelos momentos em que eu soube ouvir, calar, orientar, despertar, corrigir, sorrir, exigir, perdoar ou acolher.

Que eu possa Senhor, me revestir de mim mesmo, sem máscaras ou subterfúgios. Responsabilizar a mim pelo que sinto e pelo que sou. Ter em mente que muitos jovens se espelharão em mim. Que poderei ser aquele que faz despertar talentos, que direciona seres criativos ou impulsiona mentes brilhantes.

Que eu consiga Senhor, com os mais limitados, ajudá-los a desvendar caminhos novos, para acreditarem que sempre se pode mais e que sua vontade poderá ser um imperativo de sucesso.

Mas, Senhor, se nada disso eu conseguir, se minhas forças falharem, se eu estiver limitado demais, que pelo menos eu não os prejudique. Que eu possa me conter dos excessos, domar o desejo de vingança, me segurar diante do fracasso como mestre. E, se ainda assim, Senhor, eu insistir em me tornar num ser que não seja digno de usar o nome de mestre, me segure pelas mãos como uma criança pequena, que não consegue atravessar a rua sozinha. Mas que eu possa ter todos os meus sentidos aguçados, para perceber através dos sinais que a vida nos oferece, os meus pontos fortes e fracos e tentar aprender com a experiência, a arte de viver e ensinar.

(Embora estejamos passando por momentos em que o professor está totalmente desprestigiado, não vamos perder as esperanças, porque as coisas boas passam e se transformam, mas as coisas ruins também!)

 

 

 Um grande abraço!

 

 

INSTAGRAM

Curta esta página no Facebook

Poste no seu Twitter

© EDITORA MÍDIA LTDA | Av. Conde Ribeiro do Valle, 255 | 2º Andar | Sala 8

Telefone: (35) 3551-2040 | Cep 37800-000 |  Guaxupé | MG